Experiente em eventos gastronômicos, Chef Paty Sally conta como superou os impactos financeiros do COVID-19

Experiente em eventos gastronômicos, Chef Paty Sally conta como superou os impactos financeiros do COVID-19

Curso de Gastronomia da UniMAX convidou a especialista em carnes para falar aos estudantes sobre os desafios que tem enfrentado a partir do cancelamento de eventos e fechamento de restaurantes

 

O fechamento do comércio considerado não essencial como ação de distanciamento social devido à pandemia de COVID-19 impactou diversos segmentos de mercado, em especial, o de eventos. A fim de atualizar os estudantes sobre iniciativas para evitar a crise financeira, o curso de Gastronomia da UniMAX – Centro Universitário Max Planck de Indaiatuba – convidou uma série de profissionais para contar o que fizeram para superar a situação. A Chef Patrícia Sally Pudlowski Cotrim (Paty Sally), especializada em carnes (fogo de chão), foi uma delas.

Durante a live mediada pelo coordenador do curso, professor Caio Nunes, a profissional falou como se adaptou para o novo mercado. “Foi durante um evento em São Paulo, no dia 13 de março, que tive a noção da gravidade da pandemia que estamos vivendo. O evento foi cancelado, tive de voltar com tudo para trás. Foi um choque no fator financeiro, que foi cortado de uma vez. Até meu restaurante está parado”, revela Paty.

Para a profissional que considera essenciais o planejamento e a capacidade para lidar com o imprevisto, ela confessa que o momento foi de verdadeiro caos e pânico. “Foi a pior coisa que já me aconteceu. Não tínhamos a dimensão que seria este tempo todo”, destaca.

Ela compara a interrupção dos trabalhos como o fim de namoro de muitos anos em que a tristeza e a depressão são inevitáveis. “Só que temos que nos reinventar. Não dá para falar para as contas que não param de chegar que estou sofrendo porque meus eventos foram cancelados”, afirma a Chef.

Para superar o impacto, Patrícia se reinventou a partir do delivery (entrega). “Está indo super bem. Está alcançando de forma surpreendente todas as nossas expectativas. Eu voltei a ficar feliz e voltei a cozinhar”, garante. “Primeiro queríamos algo prático para fazer dentro de casa, então pensamos em hambúrgueres artesanais e criamos diversos diferenciais. Não queríamos ser mais uma hamburgueria na cidade”, acrescenta.

A Chef comenta que, fora o hambúrguer que não era algo com que trabalhava frequentemente, priorizou a adaptação dos pratos que já oferecia em eventos gastronômicos.

Patrícia acredita que os eventos vão voltar, mas que serão necessários cuidados especiais para que isso. “Vamos ter de fazer diferente do que estávamos acostumados a fazer, sem dúvidas”, diz. “O delivery veio para ficar, está muito forte e vai se solidificar ainda mais”, completa. Ela reforça, ainda, que a profissionalização da área e um maior rigor em higiene e fiscalização sanitária serão necessários para o novo sistema que a pandemia evidenciou.  

Texto: Tatiane Dias – (MTB 67029)

Foto: Arquivo Pessoal